domingo, 8 de maio de 2011

Aprendi com a minha mãe

Mãe, o alicerce da família. O nosso carro forte. Nosso farol no mar escuro. Tudo o que somos devemos é ela, e única forma de pagar é amando-as incondicionalmente.
Nossa mãe é nossa escola, saímos de casa, para o mundo, com o preparo que ela nos dá.
E eu durante esses poucos anos de vida aprendi muita coisa com a minha.
Aprendi a procurar, direito, as coisas. Pois ela falava:
“Só procura onde o olho alcança. Se fosse uma cobra tinha te matado”.
Aprendi o que é respeito.
“Me respeita com quem você pensa que está falando com os seus amiguinhos da rua”?
Aprendi a valorizar o trabalho.
“Se você for mandado embora, eu te mando embora de casa”.
Aprendi a valorizar o estudo.
“Se você reprovar de ano eu vou te dar uma surra tão grande que até a lua vai parar pra ver”.
Aprendi a valorizar o dinheiro.
“Você pensa que eu tenho uma maquina de fazer dinheiro, daqui a pouco vai querer limpar a bunda com uma nota de 10”.
Aprendi a me defender.
“Se você apanhar na rua, quando chegar em casa vai apanhar de novo”.
Aprendia valorizar a comida.
“Você vai comer tudo nem que eu tenha que te entrouxar goela a baixo”.
Aprendi que tamanho não é documento.
“Não é porque você ta grande que eu não posso com você mocinho”.
Aprendi a controlar a minha emoção.
“Engole esse choro”.
Aprendi a valorizar o tempo.
“Eu só vou contar até três. Um, um e meio, Dois...”.
Mas principalmente aprendi que não importa onde eu estiver, o que eu fizer, ou o que eu for, ela sempre estará do meu lado. E que se algumas vezes ela pareceu estar brigando foi só para o meu bem.
Feliz dia das mães, para todas as mães. Vocês não merecem um dia, merecem uma eternidade!

Nenhum comentário:

Postar um comentário