segunda-feira, 29 de outubro de 2012

Menos Documentario, mais comédia.


O mundo seria muito melhor se a vida fosse uma comédia romântica, as coisas seriam mais fáceis para os desastrados, os feios, os engraçados – que são quase sempre a mesma pessoa. Afinal de contas eles são os que ficam com os melhores pares. Cair, tropeçar, esbarrar, derrubar as coisas é um dos pré-requisitos para se dar bem... nos filmes. Os feios são os mocinhos e os bonitos são os vilões.
Nas comédias românticas o homem pode puxar conversa com a mulher e ela retribui, melhor ainda, as vezes são elas que puxam conversa. Qualquer fila, café, ônibus, avião, basta para que alguma coisa aconteça. Na vida real se um desengonçado puxa conversa com uma estranha o máximo que acontece é ela dar aquela olhada que vale mais que mil palavras, de desprezo.
Na vida real você faz alguma besteira e é punido severamente. Na comédia romântica também acontece deslizes, mas eles são perdoados e vida segue como se nada tivesse acontecido.
Nas comédias românticas quando está chovendo as pessoas não correm pra debaixo das marquises e quase furam seu olho com um guarda-chuva, elas andam, se beijam, cantam, sem se preocupar com uma possível gripe. Na vida real nem cachorro toma banho de chuva.
Esse gênero onde até os voos sempre saem na hora certa, o que no caso é ruim, já que obriga o protagonista ter que sempre estar correndo pra não deixar o seu amor escapar. Nesse quesito o mundo real teria uma vantagem, já que os voos sempre atrasam, ela ia ficar tanto tempo na sala de embarque que ia pensar melhor e perceber que talvez devesse ficar e dar mais uma chance. Alias acho que não, porque se uma mulher está fugindo de você de avião, é porque aconteceu alguma coisa muito grave.
Um mundo onde ninguém tem medo de expressar o sentimento, onde um nerd pode surpreender a todos, fazendo um discurso envolvente, em frente a milhares de pessoas como se fosse uma coisa normal. No mundo real o que mais se aproxima disso são os carros de som, com um locutor meia boca, que as pessoas não param pra ouvir o discurso, mas sim para rir.
Enfim acho que deveríamos lutar por uma vida com mais cara de comédia romântica e menos cara de documentário.

Um comentário:

  1. Existe uma realidade paralela a essa, em que os "desastrados, feios e engraçados" são o que eles quiserem ser! Mas é claro que seria muito melhor se fossem mocinhos, rs!
    Em minha opinião, a vida seria facilmente uma "comédia romântica" se as pessoas estivessesm dispostas a fazer dela isto!
    Mas parece que as pessoas colocam uma espécie de "venda" nos olhos, impedindo assim de enxergarem as coisas boas. Um tipo de olhar seletivo para as "surpresas" da vida!
    Até no filme as coisas não dão tão certo assim... Lembra do "500 dias com ela"?! mas no final tem um quê de esperança, que é sempre a melhor arma pra se usar quando acontece alguma coisa não tão boa assim!
    Sei lá... Por um mundo onde as pessoas permitam-se sentir mais, amar mais, rir mais, mas rir da vida!
    :)

    "FELICIDADE É SÓ QUESTÃO DE SER"

    ResponderExcluir